terça-feira, 13 de julho de 2010

013 – C. V. – O AP. – Lixo residencial

Já ultrapassamos as 17.500 visitas...

Um número que nunca pensei atingir...

Muito obrigado a todos os leitores...


Aos meus queridos leitores,

Sofia de M.G., Fernanda (estudante), Nádia, Ana Paula, Sara de Manaus, anônimos e Galera de Minas - Obrigado pelos incentivos.

Paulo Melo – Está preocupado com o mau cheiro do tratamento do esgoto - Esse tratamento de esgoto é anaeróbio, ou seja, a transformação é feita sem a presença do oxigênio, então não temos cheiros nos incomodando. O adubo que sai do biodigestor é totalmente inerte e, portanto, desprovido de cheiro (nos links que eu anexo esclarece tudo isso em pormenor).
Já relativamente ao biogás, ele necessita de ser filtrado para que o ácido sulfídrico H2S, que tem cheiro de ovo podre, não assole a cozinha do refeitório.
Relativamente ao ser fácil e não estarem a fazer esse aproveitamento do biogás eu explico:
Já estão fazendo sim o aproveitamento do biogás em muitos aterros, no entanto não podem aproveitar a parte orgânica, o chamado chorume, porque está contaminado com metais pesados, o que eu chamei de “tratarem o esgoto como lixo”. Depois de contaminado, nada se pode fazer... Na Alemanha algumas estações de esgoto estão aproveitando o lodo para fazerem compostagem, mas só nos locais onde existe a garantia da não contaminação...

Cássia – Nesta postagem vai encontrar a minha proposta para o caso das pilhas...

Galera da USP – Fico à espera das vossas férias para esse bate-bola...

D. Maria da Penha – Eu sei que por vezes os números complicam um pouco, mas eles são necessários para a nossa família estudantil...

D. Almerinda – Sonhar é talvez a parte mais importante da vida...

Mariana – O seu tio deseja saber se uma casa ecológica fica muito cara... Isso depende do nível de ecologia e sustentabilidade que se deseja alcançar... Pessoalmente verifico que a construção 100% ecológica, com cimentos, tintas, etc ... Ainda está muito cara e de difícil acesso, mas técnicas de construção de encontro à sustentabilidade não ficam caras... Já vimos como fazer um ar condicionado com muito baixo custo, como isolar convenientemente uma casa, aproveitar a água da chuva, o tratamento de esgoto com o descarte do lixo orgânico... É claro que é necessário um estudo solar e um bom projeto que aproveite a luz zenital, o sol no inverno para aquecer a casa, etc... Eu diria que com um investimento de mais 15 a 20%, vai conseguir um bom nível de sustentabilidade, mas que depressa volta atendendo à poupança de energia que vai conseguir para o resto da vida...

____________________________________________________________________________

Lixo



O homem é o único ser deste planeta que produz LIXO...

Então não adianta olhar para os lados, o problema é conosco mesmo...

E não é pequeno não... É um dos grandes desafios da humanidade...



Em 2001, O nosso querido jornalista Washington Novaes em sua série “O Desafio do Lixo” passada na TV Cultura, nos disse que o mundo, só nas áreas urbanas estava produzindo cerca de 2 milhões de toneladas de lixo por dia, ou seja,
730 milhões de toneladas por ano.

Vamos visualizar de outra forma...
Se fizéssemos um muro de 3m de altura e 3m de largura, com esse lixo, ele ficava com comprimento suficiente para
dar 3 voltas à terra...

Isto só num ano...



Atualmente as lixeiras estão ficando superlotadas e as soluções não são
nem fáceis,
nem baratas...

Nova York já está despejando parte do seu lixo a 500 km de distância.



Um comboio com 14 km de caminhões mal cheirosos sai diariamente da cidade, comparável a uma grande “operação militar”.

Em Toronto, no Canadá, as 3.000 toneladas de lixo diárias são

exportadas de trem para 800 km de distância...

Um aterro sanitário para receber 2.000 toneladas de lixo por dia, que corresponde aproximadamente ao lixo produzido por 2 milhões de brasileiros, custa cerca de
310 milhões de dólares.

O negócio do lixo no Brasil atinge cifras na casa dos 17 bilhões de reais por ano...

Só o lixo de S. Paulo custa cerca de 1 bi por ano...

É... Com estes números em causa, com certeza tem muita gente que não vai querer
“resolver o negócio” do lixo...

Se estivermos um pouco mais atentos, verificamos que em muitas das prefeituras no Brasil, sempre tem um familiar do prefeito com uma empresa de lixo...

Mas, deve ser pura coincidência...



E como o resto do mundo está lidando com o problema do lixo?...

Muito mal...

O máximo que encontramos é 50% de reciclagem, a custos enormes em estruturas economicamente deficitárias...



E todos continuam empurrando o lixo para debaixo do tapete, neste caso para debaixo da grama...

Todos nós sabemos da “competência” dos órgãos públicos...

Mas quais são as soluções propostas além das tradicionais?





1ª. Reciclagem e compostagem...



O mundo todo está se entrosando na reciclagem, mas com problemas muito sérios...

As pessoas não gostam de separar o lixo...

Ter 5 ou 6 caixotes de lixo não é muito prático e a recolha também é complicada...

Existem vários tipos de plástico e para a reciclagem funcionar plenamente, cada tipo de plástico terá que ser devidamente identificado...

E depois ainda surgem mais problemas: o lixo do lixo; ou seja, esse plástico aparece-nos com outros materiais: papel, cola, restos de comida, líquidos etc...

Então o material resultante não tem o valor que deveria ter, pois só pode ser usado num certo percentual para não poluir demais o material virgem...

É complicado...

2ª. Incineração



Muita publicidade se tem feito afirmando-se “produzir energia do lixo”, e é usada em muitos locais, mas com problemas sérios e em alguns casos desastrosos.

Os plásticos não podem fazer parte do material a incinerar, a temperatura tem que ser quase constante e os materiais orgânicos neles inclusos dificultam esse controle, produzindo as
letais dioxinas e os furanos
assim como a
dispersão no meio ambiente dos metais pesados, etc.

A grande questão se levanta:

Se é assim tão boa e não poluente porque é a única usina em que nós, os produtores do combustível ainda temos que pagar para ele ser usado?...

Porque não é bem assim, senão todo o mundo já tinha comprado um incinerador...

  1. É muito caro...
  2. É de difícil operação...
  3. Quando se obtém uma boa filtragem, dá prejuízo e vice-versa...
  4. O município se obriga a contratos muito longos (20 anos), para tornar possível o investimento...
  5. Não há garantias de não poluição, tendo inclusive casos de fraude nos relatórios apresentados, com sérios problemas para a comunidade.

Neste link em anexo tem um estudo muito bem apresentado que debate a questão de forma brilhante.
http://noalaincineracion.org/wp-content/uploads/INCINERA%C3%87%C3%83O-DO-LIXO-MUNICIPAL-5.pdf


3ª. Incinerador a Plasma

O incinerador de plasma apareceu recentemente alegando resolver os problemas do incinerador tradicional:



Mas, além de custos quase proibitivos não encontrei documentação sobre a emissão de poluentes...

____________________________________________________________________

Bem... Vamos analisar se podemos encontrar algumas soluções para esse problema tão complicado...

Vamos aqui ver somente o lixo residencial, que é o mais complicado pela sua diversidade...

Primeiro temos que saber:
  1. O que é o lixo?
  2. Quando ele se transforma em lixo?
  3. Porque ele vira lixo?...
Ou melhor...
Será que o lixo é mesmo lixo?...

Xiiiiiiiiiii, me enrolei de novo... Eu e os meus paradoxos!!!...

Bem, esse paradoxo já está 80% resolvido, tratando-se do lixo residencial.

Nós já vimos que o biodigestor consegue digerir muito bem todo o lixo orgânico, aliás, o mais complicado de todos, mas ainda temos 20% para resolver...

Vamos então ver a primeira questão:

Saber o que é lixo...

Lixo é tudo que não tem nem serventia nem valor comercial para nós...
Por isso nós o descartamos como lixo... Ou então aquilo que nos é dado em abundancia, como o caso da água que nós acabamos tratando-a como lixo, como já vimos...


Segunda questão:

Quando o lixo se transforma em lixo?...

Quando pegamos uma banana, ela não é lixo, nós tivemos de pagar por ela, mas quando a descascamos e comemos, a casca que nos fica na mão está prestes a virar lixo...

Mas ela só vira lixo na altura em que a jogamos no caixote, porque conforme já vimos se a passarmos pelo triturador, e a enviarmos para o biodigestor ela vira adubo de primeira qualidade e não lixo...

Então, como conclusão podemos afirmar que, por falta de alternativas práticas ou de incentivo financeiro é que as coisas viram lixo, e somos nós que temos o poder da decisão final...
Bem nefasto como sabemos...





Terceira questão:

Porque o lixo vira lixo?...

Se o caixote para onde atiramos a casca de banana do exemplo anterior estiver vazio, ela ainda não virou bem lixo, ainda a podemos socorrer e colocá-la no triturador, mas se misturada com um cem número de outras coisas que designamos como lixo, ela realmente virou lixo...


Quarta questão

Será que o lixo é mesmo lixo?...

Esta é realmente a mais difícil...

Nós já vimos que o "lixo" orgânico afinal não é lixo...

E o restante?...

Bem, vamos primeiro ver de que é composto esse tal de lixo restante, os 20% que faltam...

Maior parte dele, cerca de 90% são embalagens, os outros 10% se dividem em roupas que chegaram ao seu fim, poeira do chão, trecos que se quebraram ou avariaram, calçados que já não vão andar mais, os lixos perigosos como pilhas, baterias e lampadas e os chamados lixos especiais: móveis, computadores, eletrodomésticos, etc. ...



Ataquemos o principal vilão – Melhor dizendo vilãs - As embalagens...

Realmente ninguém dá nada por uma embalagem vazia por mais intacta que ela esteja...

E é por isso que elas viram lixo...

Aqui outra questão se levanta:

Mas somos nós os
produtores desse lixo?...

Tudo bem, nós já sabemos que somos os definidores quando os atiramos para o caixote, mas fomos realmente nós que os produzimos?...

Não... Não fomos nós não...

Em alguns casos nós somos até os culpados confessos, mas na grande maioria não...


Eu sei que vocês não estão entendendo, mas eu explico:

Quando nós compramos um refrigerante, nós não queremos a garrafa, nós só queremos o seu conteúdo...

No entanto o fabricante nos empurra a garrafa e nós, por falta de alternativa, a jogamos no lixo...

Então, quem verdadeiramente produz esse lixo não somos nós,
mas sim o fabricante...

Poxa, até que saiu um certo peso dos nossos ombros... rss...

Mas... Noutros aspectos nós somos os reais vilões...

Nos artigos de grande luxo a embalagem é um dos fatores preponderantes para a nossa escolha...

Aí os culpados somos nós mesmos...

Porque sem essa apresentação cuidada e luxuosa nós acabaríamos por optar por outro produto...

Voltando ao caso das embalagens dos refrigerantes...

Já sabemos que é o fabricante o responsável pelo lixo, então deveria ser ele a pagar pela solução do lixo?...

Errado de novo...

Somos sempre nós quem pagamos por tudo...

Com razão, sem razão, não interessa.

Quem paga é sempre o consumidor final...

Mas, a grande questão aqui não é saber quem é o culpado, mas sim
quem é o responsável...


E legalmente aqui no Brasil, não somos nós...

Existe inclusive uma lei que responsabiliza os fabricantes pelo destino das embalagens, mas como se pode verificar, não produziu qualquer efeito.

Mas, vamos ver as coisas de modo diferente...

E se transformássemos o lixo em não lixo?...

E se arranjássemos 200 milhões de catadores ferrenhos e totalmente comprometidos com a causa?...

...Lixo em não lixo?... 200 milhões de catadores?...



Isto não está a ficar muito surreal?...

Vocês têm toda a razão, até eu acho... rsssss.

Calma que eu explico...

Reparem num fenômeno interessante:

As latinhas de cerveja são quase totalmente recicladas já repararam?...
91,5%, não é fantástico?...

E qual o motivo desse fenômeno?... Elas não são lixo?...

- São e não são...

Xiiiiiii está parecendo física quântica em que a matéria assume dois estados ao mesmo tempo... rsss

Como já havíamos visto, as coisas só são consideradas lixo quando não têm valor comercial...

As latinhas para a classe média e alta são consideradas lixo – no entanto para as classes mais baixas, os R$0,0467 que valem, é suficiente para não serem consideradas como lixo, inclusive, chegam a guerrear por elas...

Então é só atribuir valores às embalagens que automaticamente elas deixam de ser lixo...

Viram como é fácil?...

Fácil?... Mas o lixo deixa de ser lixo por decreto?...

Não é isso não...



É só se adotar valores para elas, o vulgo “casco” aqui no Brasil, que em Portugal se chama “tara”.

Eu vou dar um exemplo muito interessante e eficaz que vivenciei, que ainda não chegou aqui ao Brasil...

Dantes nos supermercados de Portugal os carrinhos de compras eram abandonados em qualquer lugar do parque de estacionamento, exatamente como acontece hoje por aqui.

Um belo dia deixou de se ver um carrinho sequer fora do lugar...

Nem unzinho...

Mas que fantástico, como o povo europeu se educou tão rapidamente, diria qualquer brasileiro desavisado...

Bem, não é bem educação... Digamos que houve um "pequeno incentivo" educacional...

Para se pegar um carrinho de compras na Europa, temos que depositar um euro num mecanismo que libera uma corrente entre esse carrinho e o outro, e para se reaver o euro, temos que o levar até ao lugar de recolha e o plugarmos de novo num carrinho lá existente...

Pronto...
Todo o mundo ficou educado...

Custo?...


Uma idéia brilhante que mexe com os bolsos dos não cumpridores...

Aí, todo o mundo fica rapidinho com uma educação esmerada...

Então se nós pagarmos um real pela embalagem de refrigerante no supermercado e tivermos a certeza que o supermercado nos devolve esse valor na volta,
o lixo deixou de ser lixo...

E arranjamos 200 milhões de “catadores”, pois aí todos vão ser uns eco defensores do seu “realzinho” e que ficarão verdes de raiva se tal não acontecer...

E ainda podemos elevar as coisas, impondo a sua lavagem e retirada de rotulo...

Viram como se educa rapidamente um povo?...

É claro que a cobrança do casco (tara), tem que vir inicialmente da fábrica para que os supermercados não descartem esses vasilhames e tenham o incentivo de os devolver às respectivas fábricas, e pronto, temos o ciclo completo.

Reparem que dessa forma as fábricas poderão proceder à reciclagem das suas embalagens e de uma forma bem simples, já que elas sabem exatamente de que material são feitas, e que não tem lixo nelas, nem outros materiais estranhos...
E tem mais, o transporte usado é o de retorno, ou seja, gratuito, pois seria efetuado de qualquer forma...

Viram como facilmente devolvemos o “lixo” ao produtor e ele vai num instante resolver o problema?...

Sim, porque agora não temos que policiar milhões pessoas, só uma - o fabricante...



E se uma lei permitir a inspeção publica dessa reciclagem, ou seja qualquer um pode verificar se e como ela está sendo feita, e caso detecte algo de errado, receber uma boa fatia da gorda multa prevista, também arranjaríamos milhões de fiscais grátis...

Sim, porque "desviar a atenção" de um fiscal do governo é uma coisa, já de milhões de pessoas livres é humanamente impossível...

Pessoalmente não creio que tal procedimento torne os produtos mais caros, até antes pelo contrário, pois eles se podem beneficiar da venda da matéria prima reciclada, mas caso isso acontecesse, estaríamos pagando tão somente o real preço do produto...

Eu chamaria de preço responsável...

Reparem que esta medida é totalmente gratuita, todo o dinheiro retorna a seu investidor desde que cumpra as regras, e se ele não o fizer haverá uma multidão pronta para o fazer...

Eu vos garanto que mais nenhuma embalagem será vista em qualquer lixeira do Brasil ou do mundo após a adoção desta medida...

Mas se ainda duvidam da eficácia do que vos acabo de propor, respondam a esta simples pergunta:

Já viram alguma embalagem em bom estado que tenha valor de "casco" (tara) na lixeira?...

Se a sua resposta é não, tal como a minha, então podemos ter a certeza que esta simples medida resolveria o problema das embalagens no lixo de todo o planeta...

Sim eu sei... Hoje não estou nada modesto rsss....

Isto seria válido para toda e qualquer embalagem não orgânica, em bom ou mau estado desde que limpa...

Então, ou os fabricantes apresentam soluções de embalagens orgânicas (incluindo as tintas usadas) ou teriam que resolver a sua reciclagem já que seriam obrigados a aceitá-las de volta.

E não se preocupem com os fabricantes, eles rapidamente resolveriam o problema...
Eles sim, são muito competentes, desde que cheire a dinheiro, seja lucro ou prejuízo tanto faz, eles resolvem num instante...

______________

Vamos agora tratar de um percentual pequeno, mas muito importante:

Material perigoso e nocivo à saúde como baterias, pilhas, lâmpadas, etc. ...

Eu tinha prometido à nossa leitora Cássia uma solução fácil e prática para essa questão.

Se usarmos o mesmo princípio adotado com as embalagens, mas aumentando o valor de acordo com a sua nocividade à saúde pública, (exemplo: R$10,00 para o “casco” (tara) de uma pilha) com certeza nunca mais veríamos uma pilha sequer nas lixeiras ou aterros...

É claro que quando colocamos o valor do casco (tara) superior ao da mercadoria, temos que criar um mecanismo qualquer para que não haja importação de cascos (neste caso valiosos) e nos distorcer a nossa operação.
Números série, marcas holográficas, número de nota fiscal, etc., são algumas das formas possíveis para se combater tais possíveis fraudes...



Lixos especiais... (móveis, eletroeletrônicos, roupas, sapatos, etc...)

Muito daquilo que nós momentaneamente chamamos de lixo, não o é efetivamente...

O sofá que estamos fartos de ver e sentar, poderá ser restaurado por outra pessoa que nunca o viu nem sentou...

Assim pensando, proponho a criação de grandes galpões em locais muito prazerosos, alegres, com muita arte e cheios de verde e muito bem cuidados, onde se depositariam esses materiais todos divididos por tipo e espécie, de forma a que qualquer pessoa pudesse lá ir pegar e reaproveitar gratuitamente...

Nesses galpões haveria oficinas totalmente montadas e equipadas com ferramentas e materiais necessários à restauração e desmonte assim como alguns mestres, que poderiam ser aposentados voluntários pagos ou não, que auxiliariam as pessoas nos seus trabalhos.

Concursos e grande divulgação dos resultados conseguidos seriam mostrados nos jornais locais de forma a incentivar tais práticas.

Grandes campanhas louvando, incentivando e divulgando esse tipo de procedimento, para que não virasse uma vergonha o seu recurso, mas sim uma decisão criativa e louvável que só beneficiaria a comunidade.

É claro que teria um local reservado às crianças, para que desde cedo elas se entrosassem no sistema.

As peças das máquinas aposentadas poderiam de forma gratuita ser aproveitadas na reparação das máquinas em funcionamento.

As consideradas roupas e sapatos velhos também viriam para estes galpões para serem usados ou reciclados em novos materiais.



Uma ou várias passagens de modelos por ano, organizadas pela escola de corte e costura da cidade, que usariam somente os materiais do galpão, poderiam ser criadas como eventos de gala locais...
Assim como eventos de arte...

No caso de haver algum item que se acumulasse sem a comunidade encontrar sua utilidade, seria solicitado à faculdade local estudos e propostas para a sua reciclagem...

Esta ideia é inspirada num armazém particular na Alemanha de artigos usados que iriam para o lixo, que dá ou vende os itens e funciona muito bem...
(vide videos no youTube - "O Desafio do Lixo")
_____________________________

Creio que desta forma bem simples transformamos quase tudo que hoje chamamos de lixo residencial em material reciclado ou reciclável, sem recorrermos à difícil e penosa separação do lixo em vários caixotes, nem sermos obrigados a virar catadores de lixo em meio a lixeiras fétidas e repugnantes...

Uma cidade com o problema do lixo bem resolvido, não é uma cidade com uma lixeira reluzente cheia de garis e catadores, mas uma cidade onde os cidadãos não enxergam os materiais usados como lixo, mas sim numa nova fase do seu ciclo infinito de existencia...

Só assim, poderemos almejar a necessária sustentabilidade...

Mahatma Gandhi de forma bem eloqüente nos disse:

“o mundo tem o suficiente para a necessidade de cada um,
mas não o suficiente para a ganância de cada um”.


Referencias:

Estado de s.Paulo – Washington Novais
http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/lixo/washington-novaes-residuos-solidos-aterros-brasil-504843.shtml
Vídeos sobre os documentários (11 no total) sobre o lixo “ o desafio do lixo”
http://www.youtube.com/watch?v=74tl-dJ8pts
Material nuclear fica ativo durante 10.000 anos a 1 milhão de anos... São produzidas 70.000 toneladas por ano só nos USA...
http://www.lixo.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=144&Itemid=251
Sobre o problema do lixo
http://www.idec.org.br/biblioteca/mcs_lixo.pdf
http://www.recicloteca.org.br/images/info/22.pdf
http://www.conder.ba.gov.br/macarani.htm
Manutenção do aterro sanitário custa R$ 500 mil ao município
http://www.irati.pr.gov.br/noticias/noticia.asp?id=1303
Relatório - Panorama dos resíduos sólidos do Brasil 2009
http://www.abrelpe.org.br/download_panorama_2009.php
Relatório da qt de lixo produzida por dia no Brasil e seu destino
http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pnsb/lixo_coletado/lixo_coletado110.shtm
Produção mundial de lixo em 1997 – 400 milhões toneladas
http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI1404267-EI299,00.html
Lixo na Alemanha
http://www.unimep.br/phpg/editora/revistaspdf/imp30art03.pdf
Fábrica que transforma plástico em petróleo
http://www.swissinfo.ch/por/O_plastico_que_volta_a_ser_petroleo.html?cid=5645898
Até a Suíça está com problemas de lixo nas ruas – littering
http://www.swissinfo.ch/por/index.html?cid=3889378
Reciclagem do vidro
http://www.vtn.com.br/vidros/dicas-sobre-vidro.php

____________________________________________________________________

Bem, mais um assunto difícil resolvido...

Posso não estar com o melhor dos cheiros, mas nada que uns quantos banhos e uns bons frascos de perfume não resolvam...

Neste momento temos um condomínio com:
  1. Ar condicionado central (gratuito)
  2. Bem iluminado (gratuito durante o dia)
  3. Água quente e fria com fartura (gratuito)
  4. Geladeira pequena, mas suficiente (solar)
  5. Supermercado e escritório em frente ao condomínio.
  6. Esgoto exemplarmente tratado (gratuito)
  7. Biogás para a cozinha do refeitório (gratuito)
  8. Horta e pomar no nosso quintal (gratuito)
  9. Lugar para piqueniques (gratuito)
  10. Fabricamos adubo de excelente qualidade (gratuito) e
  11. Resolvemos o problema do lixo residencial com reciclagem a quase 100% sem seleção de lixo nem catadores (gratuito)...
Nota - É gratuito após o inventimento inicial necessário e em alguns casos haverá necessidade de uma pequena taxa de manutenção que poderá ser contrabalançada ou até anulada com os créditos de carbono.

Para tornarnos possivel a resolução de parte do "lixo" residencial (o especial) tivemos que criar um espaço público multifuncional, onde a arte e o engenho criam novos ciclos de vida para os materiais quando outros ciclos se fecham e encontram o seu fim...

E daqui para a frente vamos retirar do dicionário da nossa

Cidade Verde
a palavra
LIXO...


Nada mal, mesmo estando ainda lambendo as feridas da copa...
ainda conseguimos resolver algumas coisas...









55 comentários:

  1. Obrigada pela resposta seu Felipe. O senhor devia ser alguém em que pudesse dar voz , principalmente aos estudantes . Nossa geração precisa de gente assim. Abraço

    ResponderExcluir
  2. Meu filho tenho orgulho de voce, tenho idade suficiente para ser sua mãe.Penha

    ResponderExcluir
  3. Oi Felipe
    Tenho andado sem tempo e só hoje pude ver com atenção seus últimos artigos que estão sensacionais. Faço das palavras de outros leitores as minhas palavras, que deveria escrever um livro para que tantos desavisados tenham acesso a essa fonte cultural. Parabéns pela ilustração, e vai uma idéia que voce deveria divulgar na tv, sei lá mais pessoas deveriam ler tudo isso, de tudo que já li a respeito esse é o melhor de todos os artigos que já li. vai em frente e mais uma vez obrigada pela sua resposta e vai nessa.

    ResponderExcluir
  4. Oi seu Felipe
    O senhor sempre surpreendendo a gente. Esta show de bola essa coisa do lixo...è o maior luxo.Parabéns

    ResponderExcluir
  5. Maria Rosa Pereira15 de julho de 2010 23:31

    Oi seu Felipe
    Fiquei assustada como seu blog está bombando, realmente muito boas suas exposições, quem dera algum dia se tornar realidade, para quem desejar não só plantar pro futuro, como tbm melhorar a qualidade de vida. Maravilhoso, parabens

    ResponderExcluir
  6. Oi seu Felipe
    Continua arrasando hein, tá muito bom, pena eu não ter muito tempo pra assimilar melhor, parabens e continuo achando que esse blogue ainda vai dar o que falar

    ResponderExcluir
  7. Clementina F. Silva16 de julho de 2010 10:42

    Bom dia sr. Filipe
    Estou vendo que nós da terceira e magnífica idade estamos na vanguarda, pois além de termos tempo mais tempo que a juventude, temos também a oportunidade de apreciar com mais calma o que realmente significa viver. Seus escritos me chamaram atenção, porque tal como o senhor, sou uma eterna sonhadora. Tenho 79 anos bem vividos graças a Deus e só tenho muita pena porque embora muita coisa tenha melhorado em termos de tecnologia, avanço na nossa medicina e por aí a fora, mas o que mais me tem chamado atenção ultimamente, principalmente quando vejo a correria de meus filhos e até de meus jovens netos, é a falta de comunhão familiar, sem falar da corrida desenfreada atrás do "ouro" digamos assim. Crescemos em muitas coisas, mas infelizme nte tambem na miséria não só propriamente dita como na humana. Sou saudosista dos tempos que podíamos comer todos a mesa, quando tínhamos tempo de sentar a frente da calçada e cofabular com nossos vizinhos, quando a molecada brincava feliz com outras crianças da rua onde vivíamos, quando éramos felizes com tão menos do que se tem hoje no mercado.O leite, o pão chegava a nossa porta, as verduras,eram mais saudáveis enfim outra coisa que me chama atenção é que a importacia que a familia tinha era sagrada. mita coisa mudou, o consumismo desacerbado corrompeu tantos pela futilidade tal qual uma doença que avança até chegar ao seu estado cronico, perdemos a sabedoria da inocencia e da simplicidade, perdemos a capacidade de sonhar, nós idosos muitas vezes sofremos com a osteoporose quebrando nossos esqueletos, o que vejo nos mais novos hoje é a doença da alma roída pela futilidade, só se sente feliz se tiver acesso a tudo que a propaganda oferece. Vejo, observo em minha plenitude calma e serena a precariedade dos laços familiares e afetivos de uma forma geral. E foi muito olhando para esse lado que me encantei com seu sonho, que além de melhorar a qualidade de vida, como benção de fadas resgataria a possibilidade da boa convivencia, hoje se sofre com falta de tempo s dinheiro, sofremos com a necessidade de suprir cada vez mais os mandatos do consumo, sobrando muito pouco espaço para o diálogo , ternura, solidariedade muitas vezes até mesmo dentro da própria casa, as pessoas não tem tempo ,nem disponibilidade para o natural exercicio da alegria e do afeto. Por isso seu sonho me encanta, não deixarei de ler enquanto o senhor escrever, parabéns por não ter perdido assim como eu sua capacidade de sonhar .Um forte abraço apesar de não conhece-lo pessoalmente, mas posso vislumbra-lo pelo que escreveAdvogada aposentada do Nordeste brasileiro, fique com Deus

    ResponderExcluir
  8. Margarida, Sofia e Dayane16 de julho de 2010 23:10

    Caramba, tá um verdadeiro show , mas no esgoto o senhos brincou mais. Mas tudo bem é que estamos ficando mal acostumadas em ver coisas sérias escritas de maneira divertida, gostamos muito, devia se candidatar seu Filipi, se bem que depois de eleito, talvez o senhor já não colocasse em prática seus objetivos, então fica por aqui mesmo, nos dando banho de cultura e novidades.tchau

    ResponderExcluir
  9. Arrasando hein, maravilha, demais
    Adorei

    ResponderExcluir
  10. Cara tá maravilhoso meu, estamos no corre -corre
    Parabéns

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Felipe
    Sou do Rio de janeiro, arquiteta recém formada, esse seu blog está maravilhoso.Infelizmente muito pouco é posto em prática, trabalho para algumas construtoras que não estão nem aí pra esses problemas, que mais cedo ou tarde vai nos dar muita dor de cabeça, o negócio é só ganhar dinheiro, o resto deixa o tempo passar, muita gente está pensando que vão haver milagres , que virá um salvador. Seu blog chama atenção não só por ser um assunto atual, mas principalmente pela sua maneira de escrever, foi uma amiga da faculdade onde estudei que me falou de voce, vai firme, parabéns mais uma vez, de hoje em diante mais uma seguidora. tchau

    ResponderExcluir
  12. Oi Felipe
    Esse seu blog é show de bola,caramba não vi nada igual em termos de "Ecologia",parabéns mesmo. Me responde uma coisa se puder: Nos condomínios já existentes poderia haver uma ação mais forte por parte dos condonimos,e como começar? Já que ainda não
    temos nenhuma cidade verde poderíamos como ter uma ação produtiva,se puder responder seria de grande valia já que meu marido é o síndico.Parabéns e desde já agradeço sua gentileza,ler seus artigos nos estimula a pensar bem no assunto ... Um abraço

    ResponderExcluir
  13. Estudante de Fortaleza19 de julho de 2010 20:19

    Oi seu Felipe
    Meu nome é Taty,me identifiquei da última vez como est.de Fortaleza,sobre o lixo voce está dando banho,parabéns.Qual será a próxima postagem? e quando? estou fazendo um trabalho que tem a ver e estou encantada com sua maneira de escrever,sou sua seguidora também,voce deve ser uma pessoa muito simpática e nomínimosuper inteligente,fica com Deus

    ResponderExcluir
  14. Altamente arrojado, atualíssimo,sofisticação e bom gosto é o que não falta nesse magnífico blog
    Perfeito

    ResponderExcluir
  15. Carlos S. Pinto Meirelles20 de julho de 2010 19:59

    Oi Filipe
    Tbm sou engenheiro, brasileiro, infelizmente aqui no Brasil,"todo lixo" é empurrado pra debaixo do tapete.Bom de bola seu blog, vai nessa

    ResponderExcluir
  16. Graça Garcia (engenheira)20 de julho de 2010 20:15

    Voce Felipi e o Novaes juntos,que dupla hein...
    Não é mole,duas feras.

    ResponderExcluir
  17. Gloria Maria (rj)21 de julho de 2010 11:36

    Olá Felipe,me indicaram seu blog que realmente é fantástico. Uma utopia mesmo num país como o Brasil, onde falta tudo: Começando pela educação precária, saúde, segurança, falta saneamento BÁSICO, ontem mesmo no jornal da globo, da tv globo mostrou a calamidade em que vive tantas pessoas vizinhas do ESGOTO ABERTO...Falta vergonha na cara na maioria dos nossos políticos corruptos , ladrões , um país que arrecada bilhões e bilhões, impostos caríssimos, para onde vai parar o nosso dinheiro? Infelizmente, nós uma minoria um pouco mais esclarecida sabemos bem.Nós somos frutos da canalhice nacional, tenho vergonha de ser brasileira,um~país tão lindo, cheio de riquesas, com tanta beleza, tanto é que atrai turistas do mundo inteiro. Agora só se fala na copa de 2014. Vamos ver comoirãomascarar nossas "MISÈRIAS PUBLICAS E NOTÓRIAS. Desculpa o desabafo,mas depois de ler "seu sonho" fica difícilencarar tanta hipocrisia. Como voce mesmo nos mostra como seria bem simples ter uma verdadeira qualidade de vida. Mas como Felipe? Se não fazem corretamente o mínimo ,é o país da tapeação, do LIXO jogado a décadas pra debaixo do grande ,gigantesco tapete. Por hoje já estou mais leve. Parabéns pelo excelente blog, pela sua explanação, a beleza de seus trabalhos, tudo. Fique com Deus

    ResponderExcluir
  18. Bom dia Mestre
    Estamos esperando nova postagem.Bj

    ResponderExcluir
  19. Show de bola, lindão e muito sério

    ResponderExcluir
  20. Incrível Filipe
    Estamos a mil por hora, estagiando, pouca grana, rs
    Está show de bola parabéns

    ResponderExcluir
  21. Quando teremos a continuação, seu Felipi? Estamos viciados no seu blog, rs

    ResponderExcluir
  22. Maria Rosa Pereira23 de julho de 2010 13:51

    Estou encantada seu Felipe, maravilhada. Parabéns

    ResponderExcluir
  23. Mariana e família23 de julho de 2010 14:36

    Estamos doidinhos com seu blog

    ResponderExcluir
  24. Paulo Roberto e Elisabeth Vieira e Souza23 de julho de 2010 19:00

    Temos muito a dizer: Show

    ResponderExcluir
  25. Obrigadão....Casar?

    ResponderExcluir
  26. Voce me deu a dica pra construir minha casa na hora certa , obrigada

    ResponderExcluir
  27. Coisas de graça aqui no Brasil? Fala sério...

    ResponderExcluir
  28. Voce deve ser um cara muito bacana

    ResponderExcluir
  29. Olá seu Felipe
    Sou do Estado do Rio, filha de emigrantes portugueses, sou estudante, e vi seu blog por acaso, fazendo uma pesquisa pra um trabalho. Muito legal sua descrição sobre o lixo, sou brasileira por nascmento, mas se pudesse iria embora do meu país meu sonho é morar num país mais adiantado onde as pessoas são mais respeitadas como ser humano. Sou e sempre fui muito aplicada nos estudos, não quero decepcionar meus pais, jovem e consciente tenho pena que a gente viva num país com muita corrupição. Se não tratam direito nem do lixo preente, o que dirá do futuro, muita gente morre de doenças , principalmente crianças, e o lixão?
    Muito doloroso saber que ainda em pleno século em que estamos, vemos monte de gente agarrada ao lixo pra sobreviver. Vendo o que voce escreve dá vontade até de horar, acho que todos nós deveríamos em primeiro lugar ser mais respeitados, infelizmente vem nova eleição, as coisas andam devagar, mas os bolsos dos "ladrões de colarinho branco" estão cheios. O que fazer?
    se querem que as pessoas continuem com pouca instrução para poderem ser manipuladas. Sou estudante de sociologia, sonhadora, penso num mundo melhor, vai em frente seu blogue é super bacana e muito instrutivo parabéns

    ResponderExcluir
  30. Precisamos recuperar o que Deus nos deu com tanto amor.Regina

    ResponderExcluir
  31. Estudantes da universidade do Ceará
    Muito bom seu blog

    ResponderExcluir
  32. O maior lixo que a gente tem são os políticos

    ResponderExcluir
  33. Admiradora antiga diz:Filipe você é demaisssssssssss

    ResponderExcluir
  34. Nos dias de hoje, os jovens querem é depender dos pais. Muito bom seu artigo

    ResponderExcluir
  35. Seu blog é maravilhoso, esta parte do lixo está demais, muito inteligente e esclarecedor

    ResponderExcluir
  36. o maior lixo do Brasil está todo em Brasília, mais precisamente no planalto

    ResponderExcluir
  37. Concordo com tudo, o consumo desvairado que produz luxo gerando lixo que nada vem acrescentar a nossa tão almejada qualidade de vida, adorei seu blog

    ResponderExcluir
  38. Que espetáculo de blog...

    ResponderExcluir
  39. Essa parte está demais!

    ResponderExcluir
  40. Com tantos programas inúteis na tv deviam ter um diariamente com gente feito você falando de problemas tão pontuais como vemos aqui, concientizar o povo efetivamente

    ResponderExcluir
  41. Temos mesmo que ajudar o planeta, muito esclarecedor este site.

    ResponderExcluir
  42. PÕ fiquei assustado com tanto lixo

    ResponderExcluir
  43. Oi
    Sou leitora assídua do jornal extra e deixaram o endereço desse site, sou professora e fiquei encantada com o que li, concordo interamente com você, infelizmente as mães não tem mais nem tempo nem paciência para estar com os filhos e jogam toda responsabilidade nas nossas costas e cobram muito de nós, principalmente nas escolas particulares por outro lado somos mal pagas, e para sobreviver nesse mundo caótico e caro, tbm temos de ir além das nossas foiças, e nosso filhos acabam por ficar tbm para segubdo plano, vou continuar lendo seu blog pois dei uma olhada e já vi que tem muita coisa interessante, parabéns pela esclarecedora e belíssima postagem, um abraço

    ResponderExcluir
  44. Nunca podia imaginar tanta importancia que é o nosso lixo, valeu

    ResponderExcluir
  45. Depois de ter lido isso vou separar meu lixo e tomar mais cuidado

    ResponderExcluir
  46. Excelente o blog. Vou precisar arranjar bastante tempo para dar uma olhada com mais atenção. Por enquanto queria pedir uma informação melhor sobre a tocha de plasma que aparece em algum ponto deste blog. Onde consigo maiores informações a respeito> Meu endereço é jorgecunha@outlook.com .

    ResponderExcluir